Rádio Monteiro - Online

Marcha para Jesus em São Paulo tem críticas contra Lula e o ativismo gay

Alguns fiéis trouxeram cartazes contra a corrupção e, principalmente, contra o que alguns evangélicos chamam de "ativismo gay".

 Na esteira dos acontecimentos das últimas semanas no Brasil, a Marcha para Jesus, que está sendo realizada neste sábado (29) em São Paulo, também dá espaço para manifestações políticas.
Por mais que a maioria das faixas no evento seja de cunho religioso, alguns fiéis trouxeram cartazes contra a corrupção e, principalmente, contra o que alguns evangélicos chamam de "ativismo gay".
Um grupo de fiéis da Assembleia de Deus do Rio de Janeiro trouxe diversas faixas contra os grupos GLBT e cobrando o ex-presidente Lula por mais ações.
"Estamos aqui para ajudar a acabar com a corrupção. Nós evangélicos precisamos fazer política também, senão os outros fazem pela gente", afirmou Johnson Werneck, que liderava um grupo de dez fiéis.
Werneck contou que veio a São Paulo para a marcha pela segunda vez. No entanto, no ano passado, ele não quis fazer política.
"Acho que religião e política se misturam sim. Mas o ativismo é complemento ao louvor", disse.
Rede Sustentabilidade colhe assinaturas
O partido Rede Sustentabilidade, de Marina Silva, está usando a Marcha para Jesus para colher assinaturas necessárias para a formalização do registro da sigla.
Cerca de 200 mobilizadores estão espalhados pelo evento, abordando fiéis e apresentando o partido como "representante dos evangélicos".
Danilo Macedo de Aguiar foi abordado na rua e decidiu ajudar na criação do partido apesar de dizer que não liga para política.
"Na verdade, nem sei direito o que me motivou a assinar. De repente, é porque a gente (evangélicos) sempre foi excluído e sentimos que precisamos de representante", afirmou Aguiar, membro da Assembleia de Deus.
Segundo um mobilizador do partido, todos que trabalhavam para colher assinaturas estavam no evento de maneira voluntária.
"Sou evangélico e acredito no partido", disse Marcos Ferreira, que estava colhendo assinaturas desde as 10h30. "Mas, sinceramente, não acho que política e religião devem se misturar", disse, contraditório.
Histórico
A marcha chegou ao Brasil em 1993 por intermédio do Apóstolo Estevam Hernandes, líder da Igreja Renascer em Cristo e que hoje é o presidente do evento no Brasil. Naquele ano, a marcha saiu da avenida Paulista, seguiu em direção à avenida Brigadeiro Luís Antônio e chegou ao Anhangabaú para a concentração.
Alguns anos depois, cerca de 10 milhões de pessoas de mais de 170 países já marcharam para celebrar o nome de Jesus Cristo em diferentes regiões do Brasil e do mundo. Cidadãos de diversas religiões, idade e raças saíram às ruas em países como Argentina, Canadá, Colômbia, Cuba, EUA, Finlândia, França, Itália, Japão, Moçambique, Rússia, entre outros. Em outubro deste ano, a marcha chegará pela primeira vez a Israel.
Fique atento aos bloqueios
CET vai monitorar o tráfego nas vias do Bom Retiro, na região central, e de Santana, na zona norte, até às 3h do domingo (30), para realização dos shows.
A pista local da avenida Tiradentes, sentido aeroporto, foi interditada a partir das 6h de sábado (29), entre a rua dos Bandeirantes e a rua Mauá; e, a partir das 9h, a pista expressa será bloqueada, entre a avenida do Estado e o túnel Tom Jobim.
A pista central da avenida Santos Dumont, sentido praça Campo de Bagatelle, teve seu trânsito desviado para a pista local em direção à marginal Tietê, sentido Ayrton Senna, a partir das 9h30 de sábado (29).
O tráfego no sentido norte-sul foi desviado pela avenida Braz Leme, seguindo pelas avenidas Rudge, Rio Branco e Rótula Central, ou para quem se destina à zona sul, pelas avenidas Abraão Ribeiro e Pacaembu. No sentido sul-norte, o motorista deve seguir pela pista local do eixo, até a avenida Tiradentes, rua Pedro Vicente e avenida Cruzeiro do Sul.
O terminal Armênia vai ser desativado no sábado (29) das 10h às 14h, e as linhas de ônibus serão desviadas para a ponte da Vila Guilherme, seguindo pela avenida Bom Jardim, ruas Araguaia, Canindé, Olarias e Pedro Vicente, e avenida Cruzeiro do Sul.
A praça Heróis da FEB e a avenida Santos Dumont, em ambos os sentidos, serão bloqueadas no trecho entre a avenida Braz Leme e a rua Santa Eulália até as 23h de sábado (29). No sábado (29), a partir das 6h, a área de bloqueio foi ampliada até a praça Campo de Bagatelle; a avenida Olavo Fontoura, entre a praça Campo de Bagatelle e rua Professor Milton Rodrigues, também sofrerá bloqueio, das 9h30 às 15h do sábado (29).
Itinerário das linhas
Em função deste evento, a SPTrans, empresa que gerencia o transporte público em São Paulo, vai alterar o itinerário de 23 linhas que trafegam na região.
A concentração para a marcha ocorre na praça da Luz, avenida Tiradentes entre o parque da Luz e a rua dos Bandeirantes, deslocando-se até a praça Heróis da FEB, passando pela avenida Santos Dumont e praça Campo de Bagatelle.
O serviço Atende vai contar com oito vans com partidas a partir da estação do Metrô Portuguesa-Tietê até a praça Campo de Bagatelle e ao lado do palco na praça Heróis da FEB, oferecendo transporte gratuito para gestantes, idosos e pessoas com dificuldade de mobilidade em geral.
Para saber sobre a mudança nos itinerários das linhas de ônibus basta consultar no site da SPTrans ou ligar no telefone 156.

0 comentários:

Postar um comentário