Rádio Monteiro - Online

Patos e região poderá enfrentar colapso no abastecimento de água

Canos da adutora estouraram quatro meses no mês de junho e colapso é iminente

A cena do senhor abastecendo água com uso de uma carroça de tração animal foi registrada no Bairro da Vitória, precisamente na Rua Antônio Félix. Na localidade faz cinco dias que a comunidade não dispõe de água nas torneiras. A falta de água também se estende para vários bairros da cidade de Patos, bem como para os municípios que dependem da Adutora Coremas-Sabugi.
Em contato com o diretor da Companhia de Água e Esgotos do Estado do Paraíba – CAGEPA/ Regional das Espinharas, Maciel Damaceno, esse foi incisivo em afirmar que os canos da Adutora estouraram quatro vezes no mês de maio e mais quatro no mês de junho. Neste sábado, dia 29, o cano da adutora estourou dentro de um açude nas proximidades da cidade de São Bentinho. O Açude teve de ser esvaziado e horas depois do conserto o cano voltou a apresentar problemas.
De acordo com Maciel Damaceno, os trabalhadores fizeram reparos até as 22:00h deste sábado e garantiram água durante a madrugada deste domingo, dia 30. A demanda em busca de água não foi suficiente para atender os usuários. Durante a manhã de hoje, domingo, vários funcionários da CAGEPA se deslocaram para São Bentinho em busca de reparar os danos.
“O problema pode ser bem maior do que muitos pensam. Eu sou conhecedor do projeto original da Adutora Coremas-Sabugi e sei o que estou dizendo: o projeto original da Adutora era para ser executado com canos de ferro fundido, mas foi colocado fibra de vidro que agora começar a estourar causando danos irreparáveis a empresa e mais ainda a população. A saída é a total troca dos canos para como estava previsto o projeto original. São 16 cidades prejudicadas com esses problemas de rompimento nos canos”, relatou Maciel.
O abastecimento de água poderá ser normalizado ainda neste domingo. A grande questão é que é imprevisível quando os canos romperão novamente, pois a vida útil dos canos da Adutora dão sinais de desgaste.

0 comentários:

Postar um comentário