Rádio Monteiro - Online

Projeto “Sumé com Flores” possibilita terapia ocupacional no CAPS

Câmeras flagram homens furtando loja em São João do Cariri; veja imagens

Os usuários do Centro de Atenção Psicossocial de Sumé (CAPS-Estação Novos Rumos), participaram na manhã de quarta-feira (14), no CDSA, do seminário “Plantando Flores: uma alternativa não repressiva no cuidado às pessoas com transtornos mentais”. A atividade esteve incluída na programação da Semana da Luta Antimanicomial que está sendo realizada pelo CAPS.
O seminário foi ministrado pela professora Adriana Meira, coordenadora do projeto, e pelo psicólogo do CAPS, Divanício Pessoa. O projeto “Sumé com Flores” foi idealizado pelo CAPS de Sumé e foi um dos sete projetos de reabilitação psicossocial da Paraíba que foi aprovado pelo Ministério da Saúde.
O “Sumé com Flores” foi iniciado em junho do ano passado, envolve a participação dos familiares e usuários do CAPS no viveiro de mudas do CDSA. O objetivo é inseri-los em atividades produtivas, ampliando a autonomia e dotando-os de responsabilidade, consciência ambiental e principalmente, gerar benefícios terapêuticos com ênfase na autoestima.
Os usuários se deslocam duas vezes por semana para o viveiro de mudas. Durante as aulas, eles recebem ensinamentos dos estudantes dos cursos de Tecnologia em Agroecologia e de Engenharia de Biossistemas.
As aulas compreendem a preparação de terra, das mudas, plantação das sementes e todo o processo de cultivo no viveiro de flores. De acordo com o coordenador do CAPS, Divanício, o projeto Sumé com Flores tem ajudado na reabilitação social e na questão clínica dos sujeitos que participam.
Ele falou também que os desafios a serem vencidos ainda são o preconceito, a melhoria nas formas de tratamento e o cuidado das famílias com as pessoas com transtornos mentais. “ A gente tem muito paciente que não tem cuidador, que as famílias não chegam junto no tocante à questão do cuidado, no saber cuidar”, disse Divanício.

0 comentários:

Postar um comentário