Rádio Monteiro - Online

Seleção faz 4 a 0 no Panamá no seu penúltimo jogo antes da Copa

São João de Monteiro tem início próxima terça-feira com Festival de Quadrilhas

A emoção do hino, o nervosismo dos primeiros minutos, a cobrança do chefe, a impaciência da torcida e a necessidade do protagonismo do seu principal craque. E no embalo de Neymar, carregada por ele, a seleção brasileira venceu com facilidade o Panamá por 4 a 0 na tarde desta terça-feira, no Serra Dourada, em Goiânia. Se o time de Felipão passou por bons testes para a Copa do Mundo na partida, um deles foi destacar o que já não era segredo: a importância do camisa 10 para a sintonia do grupo.
Ele, Daniel Alves, Hulk e Willian construíram a goleada verde e amarela. Mas antes disso, a torcida perdeu a paciência com 26 minutos de um futebol ruim e sem sequer um chute a gol. Sob a batuta do camisa 10, porém, o Brasil cresceu. A ponto de convencer o mesmo torcedor que vaiou a aplaudir e gritar “olé” a cada passe dos jogadores mais para o final do duelo. Foram 31.871 presentes. E não só os brasileiros reverenciaram. Após o apito final, os próprios jogadores panamenhos pediram para tirar fotos com Neymar.
Na próxima sexta-feira, a menos de uma semana da estreia na Copa do Mundo, a seleção brasileira faz o último teste antes do Mundial. Às 16h tem duelo com a Sérvia, no estádio do Morumbi, em São Paulo. E no dia 12, contra a Croácia, o tão esperado debute na Arena Corinthians, também na capital paulista.
Quatro minutos foram suficientes para irritar Felipão. Logo o técnico estava à beira do gramado, de braços abertos, reclamando do posicionamento do time. Justo! A seleção brasileira começou mal demais. Erros bobos de passe, pouca criação, apatia… Nem parecia aquele time forte e compacto da Copa das Confederações.
Bem fechado, sem dar espaços, o Panamá criou uma dificuldade que talvez a Seleção não estivesse esperando. Isso gerou nervosismo, refletido em dura falta cometida por David Luiz em Tejada, no meio de campo, bem longe do gol. Amarelo para ele. Mais adiante, Neymar tentou fazer firula e levou encarada de Baloy. Nada dava certo.
Na arquibancada, os gritos de incentivo ainda predominavam. Mas só até os 23 minutos. Depois de lançamento errado de David Luiz, a torcida jogou a paciência longe e vaiou o time de Felipão. A irritação do torcedor fez bem. Principalmente a Neymar. O atacante logo acordou e foi para cima dos panamenhos.
E aos 26 minutos, em cobrança de falta sofrida por ele mesmo, Neymar abriu o placar. Foi o primeiro chute do jogo. Com perfeição, o atacante fez o gol de número 200 da carreira, segundo conta do estafe do jogador, que leva em consideração, por exemplo, gol pelas categorias de base da Seleção. Com o craque mais solto, o time todo rendeu melhor. Daniel Alves, então, arriscou da entrada da área, aos 39, e ampliou: 2 a 0. Ao apito final do primeiro tempo, aplausos.

0 comentários:

Postar um comentário