Rádio Monteiro - Online

A violência em Monteiro assusta Moradores: não tem mais portas abertas, carros destravados.

Já dizia o trecho de uma música do cantor Gabriel o Pensador “A criminalidade toma conta da cidade. A sociedade põe a culpa nas autoridades” (…)

 Baseada nesse trecho, enquanto a violência toma conta da nossa Cidade, do nosso Estado e invade as nossas ruas e dias, a população temerosa tenta recorrer à segurança, às autoridades.

 Ei, espera. .. Mas e se as autoridades e/ou segurança nada ou pouco fazem para assegurar tranqüilidade e sentinela das pessoas? Nesse caso, a quem recorrer? De onde poderá vir o socorro? Podem até me tecer críticas, mas eu sou adepto a pedir segurança de Deus, se Ele não nos guardar em vão trabalham os que “nos fazem segurança”. Já não é a 1° vez que eu vou dizer, mas viver nesse mundo está cada dia mais difícil, mais arriscado, mais temeroso. Ninguém tem mais segurança nem mesmo dentro de casa.

Os últimos casos registrados aqui em nossa cidade e na zona rural são de uma barbaridade absurda. O crime se espalhou e não tem mais quem dê jeito. Sinceramente, para mim, é falácia quem ‘prega’ ou ‘pregou’ que mudaria a nossa triste realidade. Não mudou e não vai mudar nada.

As coisas, principalmente a violência, não são tão fáceis de serem resolvidas. Enquanto as autoridades continuarem acreditando que violência se combate em colocar bandido atrás das grades (apenas), só para engordar, e menor infrator passar alguns dias aloprando em detenção, tudo vai continuar do mesmo jeito.
É como se trocasse 6 por meia dúzia. É preciso que as autoridades se atentem para o desenvolvimento da educação no nosso Estado, na nossa Cidade, no nosso País. É preciso ocupar esses jovens, dar-lhes oportunidades, inserção no campo de aprendizado, em uma profissão. E quanto aos “velhos” que já estão “perdidos”? É preciso que as Leis sejam endurecidas.

Bom, quanto a esses é necessário que as punições e penalidades sejam levadas a sério, sejam mais duras e cumpridas. Enquanto isso não acontecer, vamos ter todos os dias casos bárbaros, como o que aconteceu domingo (02/08) aqui.
Um homem conhecido por Edglay Cavalcante dos Santos, 28 anos, matou com golpes de faca peixeira, o jovem Jeffersson Allyf da Silva, 22 anos, na rua do bujão. Com o perdão das palavras, mas é quase utópico o que eu estou falando, visto que o sistema é corrompido e, se o sistema é corrompido, quem vai pagar por isso? E pagar, às vezes com a própria vida? O jovem inocente, pai ou mãe de família dentro de casa ou na rua.

Precisamos de políticas de segurança que não sejam hipócritas. Que não ajam como se tudo fosse melhorar da noite para o dia, mas que a falta de segurança e violência sejam combatidas tecnicamente e não politicamente.
A polícia precisa estar ostensivamente nas ruas, nas escolas, nos becos, fardada e pronta para assumir a responsabilidade a qual lhe foi designada – levar segurança às pessoas. Mas tudo isto ainda não é o suficiente, precisamos das entidades religiosas nas ruas, nos bairros mais pobres, falando de Deus levando estes jovens sem perspectivas, sem nada a perder, sem o temor de Deus para as igrejas.

Precisamos de evangelismo, e ação que aproxime estes jovens de Deus. A nossa Cidade está precisando de um grupo de apoio para estes pais que estão perdendo os seus filhos para as drogas, bebidas, prostituição, e se engana quem pensa que é apenas os pais do Alto São Vicente, Mutirão, Vila Santa Maria, ou rua do Matador, que estão passando por isto, o problema está em todas as classes sociais, muitos pais sofrendo vendo os seus filhos se perdendo sem nada poder fazer.


Acima de tudo, queria dizer também que não é sorte que temos todos os dias em sermos guardados da violência deste século, mas é a proteção de um Deus Grande que se importa com cada um de nós. Que Deus nos guarde!

Vagner Lira.

0 comentários:

Postar um comentário