Rádio Monteiro - Online

População prestigia homenagem feita ao poeta Pinto de Monteiro

A Noite do Repente, evento promovido pela Prefeitura Municipal de Monteiro para registrar os 120 anos de nascimento de Severino Lourenço da Silva Pinto, o Pinto do Monteiro, foi bastante prestigiada pela população de Monteiro, que lotou à Praça João Pessoa.

Organizado pela Secretaria de Cultura e Turismo do município, o evento iniciou com o lançamento de um Selo comemorativo e contou com a presença do vice-prefeito Cajó Menezes e da secretaria de Saúde Anna Lorena, que na ocasião representaram a prefeita Edna Henrique, do Diretor Regional dos Correios e Telégrafos na Paraíba, José Antônio Trajano e outras autoridades locais, a exemplo do vereador Lito Campos, que representou o Poder Legislativo.

Após o lançamento do Selo, a Noite do Repente foi aberta pela dupla de irmãos Paulo e Ginaldo Pereira, tendo na sequência os repentistas Asa Branca do Ceará e Zé de Jabitacá, Renê Cavalcante e José Feitosa e Xexéu da Paraíba e Afonso Pequeno.

A Secretaria de Cultura, juntamente com a direção do Museu Histórico Arnaldo Bezerra Lafayette fizeram uma modesta, porém bela decoração do local e expuseram fotografias e documentos de Pinto de Monteiro, possibilitando aos presentes conhecerem um pouco mais de Severino Lourenço da Silva Pinto, que completaria 120 anos de vida.

Além de poetas e repentistas, a Noite do Repente teve a participação de declamadores, todos enaltecendo a trajetória vitoriosa e simples de Pinto de Monteiro.

SOBRE PINTO DE MONTEIRO

Apesar de alguns deixarem dúvidas sobre o seu nascimento, o próprio Pinto confirmou em entrevista concedida a Djair Almeida de Freitas, em dia 11 de abril de 1983: “Severino Lourenço da Silva Pinto Monteiro, nasci em 1895, a 21 de novembro, a uma da madrugada, assim dizia a velha minha mãe. Batizei-me a hum de janeiro de 1896, pelo Padre Manuel Ramos, na vila de Monteiro. Nasci na rua, mas morava em Carnaubinha. Com sete anos de idade, em 1903, fui para a fazenda Feijão. Saí de lá em 1916, 30 de junho.”

Pinto do Monteiro imortalizou-se com versos que ainda hoje repercutem no cenário nacional. Em sua terra natal a sua memória é perpetuada através da Rua Pinto do Monteiro, da Praça Poeta Pinto do Monteiro e do Campus VI Poeta Pinto do Monteiro, da UEPB – Universidade Estadual da Paraíba.


0 comentários:

Postar um comentário