MONTEIRO TV AO VIVO

Homicídios caem 22,1% de janeiro a setembro e Paraíba continua em destaque no país


Nove meses de redução de homicídios, acumulando uma queda de 22,1% das ocorrências em relação ao mesmo período do ano passado. Essa é a realidade da Paraíba, único Estado do Brasil a contabilizar também sete anos de redução consecutiva de crimes contra a vida, como resultado de ações do Governo do Estado, por meio da Secretaria da Segurança e da Defesa Social (Sesds) e de seus órgãos operativos. De janeiro a setembro deste ano, foram 707 casos de Crimes Violentos Letais Intencionais (CVLI), enquanto que nos três trimestres de 2018 foram registradas 908 ocorrências de assassinatos. Com esse resultado, a taxa de homicídios por 100 mil habitantes no Estado caiu 43% desde 2010, saindo de 41,5 para 23,3. Os números foram apresentados ao governador João Azevêdo, nesta terça-feira (22), durante reunião de monitoramento, realizada no Palácio da Redenção, em João Pessoa.

Na ocasião, o chefe do Executivo estadual parabenizou todos os integrantes das Forças de Segurança pelo reconhecimento nacional da eficiência do programa Paraíba Unida pela Paz, que ficou entre os primeiros lugares no Prêmio de Excelência em Competitividade 2019, que analisa as boas práticas da gestão pública. “Esse troféu, presente na nossa reunião de hoje, é o resultado do esforço e dedicação de cada um, que se reflete nos números obtidos pela segurança e essa premiação é dividida com cada profissional que integra o nosso sistema. Eu já conversei com o secretário Jean Nunes para que esse troféu fique por um período em cada instituição para que todos saibam que ele faz parte do compromisso de homens e mulheres que merecem esse reconhecimento”, frisou.

O secretário da Segurança e da Defesa Social, Jean Francisco Nunes, ressaltou que a área vive uma fase importante com a conquista de prêmios e a redução contínua de crimes. “Nessa reunião, tivemos a oportunidade de explanar os índices de janeiro a setembro, com uma redução de 22% no número de homicídios, e vários indicadores positivos, como a redução de 57% na apreensão de armas de fogo. Além disso, a premiação que vem de um órgão externo ao Estado coroa todo um trabalho que vem sendo fortalecido esse ano de uma maneira muito forte. Nós somos o único Estado a ter uma premiação como a conquistada na semana passada e isso nos enche de orgulho e energia”, enfatizou.

O comandante-geral da Polícia Militar, coronel Euller Chaves, afirmou que os números positivos refletem a motivação e o reconhecimento do trabalho desenvolvido pelas tropas que integram as forças de Segurança. “Esse é um processo acompanhado e monitorado pelo governador João Azevêdo e vai além da segurança que funciona no nosso Estado, mas também é fruto da infraestrutura, da solidez fiscal e do emprego que chega, ou seja, é um conjunto de fatores que nos faz ter resultados favoráveis para os paraibanos. Além disso, recebemos mais um reconhecimento nacional do Centro de Liderança Pública que nos coloca em 4º lugar em nível nacional no pilar da segurança”, pontuou.

Dados – Segundo o núcleo de Análise Criminal e Estatística (Nace) da Sesds, os homicídios de mulheres também acompanham a redução geral. Em nove meses, houve queda de 18% nos assassinatos com vítimas do sexo feminino, totalizando 53 casos. Em relação aos feminicídios, a diminuição é de 7%, com 27 ocorrências de janeiro a setembro.

Redução de assaltos a banco – Do início do ano até setembro, também foi registrada uma redução de 57% nas ocorrências de crimes contra instituições bancárias, sendo contabilizados 26 casos no período, sendo oito arrombamentos, três roubos e 15 explosões, enquanto nos três trimestres de 2018 aconteceram 61 ocorrências. Nas explosões, a queda nos registros foi ainda maior, de 69%.

Ainda de acordo com o Nace, as ocorrências deste ano se concentraram em 18 municípios paraibanos, sendo cinco em João Pessoa, duas nas cidades de São Bento, São João do Rio do Peixe, Campina Grande e Lagoa Seca. Nas demais cidades, houve um caso.

Menos assaltos em João Pessoa e Campina Grande – As duas maiores cidades da Paraíba tiveram menos casos de crimes contra o patrimônio neste ano, por conta do trabalho de prevenção, incluindo presença das polícias nos bairros e ainda operações realizadas pelas forças de segurança. Na Capital, a redução foi de 36%, sendo também 36% de roubos a pessoa, 5% de roubos a estabelecimentos, 2% de roubos em residências e 33% de assaltos em transportes coletivos.

Em Campina Grande a queda geral de ocorrências registradas foi de 46%, com menos 15% de roubos a pessoa, menos 37% de roubos em estabelecimentos comerciais, menos 37% de assaltos em residências e redução de 51% nos crimes contra o patrimônio em transportes coletivos.

Veículos recuperados – Por conta das ações policiais, 60% dos veículos subtraídos na Paraíba foram devolvidos aos seus proprietários em 2019. Ao todo, de janeiro a setembro, foram recuperados 2.007 carros, motos e outros tipos de veículos no Estado.

Depois da instalação do Batalhão Especializado de Policiamento com Motos (BepMotos), em João Pessoa, a quantidade de ocorrências de roubos e furtos de carros e motos diminuiu 21% e 34%, respectivamente. Os roubos a pessoa também foram reduzidos em 17%.

O Batalhão, inaugurado em agosto, representa um investimento superior a R$ 3 milhões por parte do Governo do Estado e tem como objetivo garantir mais agilidade nas ações de enfrentamento ao crime. Instalado em uma área estratégica da capital paraibana, na Avenida Epitácio Pessoa, conta com um reforço inicial de 100 policiais que atuam no motopatrulhamento tático e comunitário.

Operações e prisões de interesse estratégico – Ainda de acordo com relatório do Nace, os órgãos de segurança do Estado realizaram um total de 14,7 mil prisões de diversos crimes, sendo 2.158 de interesse estratégico. Os casos abrangem pessoas apontadas pela autoria de homicídios (352), assaltos (877), roubos a instituições bancárias (30), roubos de veículos (264) e com mandados de prisão em aberto (635).

Os números estão diretamente ligados às operações de interesse estratégico, realizadas nos municípios paraibanos de janeiro a setembro e que somam 3.676 trabalhos com esse objetivo, a exemplo das operações Carnaval, Nômade, Cidade Segura, São João, Tiradentes, Pôr do sol, Crepúsculo e Alvorada, Saturação, Dia das Mães e Impacto, de caráter preventivo; além de operações de repressão qualificada como Luz Na Infância IV, Operação Maya, Hanói, Dictum, Passagem, Vanitas, O outro lado da moeda, Malote Blindado, Lábaro Hircus V, entre outras.

Apreensões de armas e drogas – Ações de prevenção e repressão qualificadas das Polícias Militar e Civil retiraram de circulação 2.877 armas de fogo em nove meses, o que representa um aumento de 56%, entre os quais revólveres (36%), pistolas (8%), espingardas (54%) e outros armamentos apreendidos (2%). Em 2018, no mesmo período, foram recolhidos ilegalmente 1.842 materiais desse tipo. No que se refere ao enfrentamento ao tráfico de drogas, foi apreendida aproximadamente uma tonelada de entorpecentes, entre maconha (809,7 kg), crack (54,7 kg), cocaína (67,7 kg) e outras substâncias.

Resgates e socorros – No período de janeiro a setembro de 2019, também se destacou o trabalho do Corpo de Bombeiros Militar da Paraíba, no resgate de acidentados no trânsito e socorro de vítimas de violência. Ao todo, 2.746 pessoas acidentadas receberam atendimento de bombeiros militares no Estado, sendo a maior quantidade de ações realizadas na cidade de João Pessoa (1.419). Em relação ao socorro de vítimas de crimes potencialmente letais intencionais, foram contabilizados 90 atendimentos.

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.