Rádio Monteiro - Online

Tratamento com antirretrovirais reduz risco de contágio entre casais


OMS recomenda iniciar a terapia com antirretrovirais o mais cedo possível.

O uso da camisinha é o método mais eficaz para se prevenir do HIV. Quem já é portador do vírus, entretanto, deve saber que a adesão ao tratamento também é fundamental para reduzir o risco de transmissão. Isso é o que mostra um estudo publicado na revista médica Lancet no sábado (1º). A pesquisa foi conduzida por especialistas de diversas instituições, como a Chinese Center for Disease Control and Prevention, na China, e a Harvard University, nos Estados Unidos.
A análise incluiu mais de 38 mil casais chineses que foram acompanhados durante nove anos. Os soropositivos de 24 mil casais receberam tratamento com antirretrovirais. A experiência já havia sido realizada anteriormente, mas em menor escala. Em 2011, após uma pesquisa feita com 1.700 casais sorodiscordantes (em que um é soropositivo e o outro não), a Organização Mundial da Saúde (OMS) passou a incentivar o tratamento precoce, independente da contagem de células de defesa no sangue da pessoa infectada, graças à constatação de que o tratamento reduzia em 96% o risco de transmissão.
Os resultados do atual estudo mostram números diferentes, mas também positivos: o risco de transmissão do vírus HIV entre casais sorodiscordantes diminui em 26%, caso haja adesão ao tratamento. A eficácia da terapia como forma de prevenção nos casais do estudo diminuiu um ano depois, o que sugere a possibilidade de resistência aos medicamentos ou a outros fatores.
Profissionais de saúde relatam, porém, que a porcentagem reflete uma diminuição mínima do risco, já que muitos pacientes demoram a se adaptar ao tratamento que inclui até mudanças de hábito. Além disso, muitos deles ainda fazem uso irregular das medicações. Por isso, é muito importante seguir as recomendações médicas para garantir mais eficácia na prevenção.
A escolha e a forma de preparo dos alimentos desempenha papel de grande importância na vida do soropositivo. Veja alguns cuidados que evitam o risco de infecções oportunistas no paciente:
Reeducação alimentar
O vírus HIV pode acelerar o metabolismo, favorecendo a perda de peso do soropositivo. Por isso, alimentar-se corretamente é fundamental. Invista em gorduras e proteínas saudáveis, beba muito líquido e não passe grandes intervalos sem comer.
Náuseas
A medicação usada pela pessoa com AIDS tem inúmeros efeitos colaterais e um deles é a náusea. Ao menor sinal desse sintoma, prefira ingerir alimentos de consistência pastosa e em pequenas porções. O chá de gengibre também pode ajudar.
Separe líquido e sólido
Beber enquanto se come pode atrapalhar a digestão, causando refluxo, aumentando a sensação de mal-estar e até piorando as náuseas. Por isso, primeiro consuma o que está no prato e, depois, mate a sede.
No freezer
Um cuidado especial deve ser tomado ao descongelar alimentos. Deixe as porções na geladeira e não expostas ao ar livre. Evite ainda congelar novamente o que sobrou. Se você não consumiu, jogue fora.

0 comentários:

Postar um comentário