MONTEIRO TV AO VIVO

Em vídeo, Samuel Mariano quebra silêncio sobre polêmica: "Jogaram baixo"

 

O religioso pediu perdão pelo que as pessoas ouviram ao seu respeito




Após 35 dias do surgimento da polêmica que abalou as estruturas da presidência da igreja AD Brás Paraíba, com sede em João Pessoa, o presidente afastado, pastor Samuel Mariano, deu sua versão dos fatos em vídeo. O material tem 30 minutos de duração em que ele se defende das acusações de suposto adultério, importunação sexual e assédio. O religioso, quem também é cantor e compositor, foi acusado de trocar mensagens de cunho sexual com uma obreira de sua igreja. A mulher mencionou que o pastor chegou a fazer chamadas de vídeo através de aplicativos de mensagens em que aparecia se masturbando.

No vídeo, publicado nesta quarta-feira (4), (veja no final da matéria) o pastor Samuel aparece ao lado da esposa e atual presidente da AD Brás Paraíba, Isabela Mariano, e seus dois filhos, Samuel Lucas e Rebeka Mariano. Aparecem no vídeo também o pastor Júnior Feitosa, vice-presidente da AD Brás Paraíba, e da Dra. Anne Karoline, uma das advogadas da igreja e que está acompanhando o caso. Ele também fez refência ao advogado e professor da PUC, Márcio Chim, que também está orientando a defesa.

Ele começa o vídeo dizendo que estava ao lado daqueles que eram mais preciosos para ele, sua família. Ele pediu a atenção dos espectadores do vídeo e mencionou que gostaria que o material alcançasse a mesma proporção dos vídeos de acusação. O cantor diz também que não há dúvidas de que foi vítima de uma conspiração. “A gente estava ciente do tamanho da armação, do tamanho da cilada”.

Samuel pediu para que as pessoas assistissem ao vídeo com olhos de misericórdia. Ele pediu perdão aos brasileiros por terem ouvido coisas a respeito dele que ocasionaram repercussões como fraqueza na fé. Ele disse que as pessoas que levantaram a polêmica jogaram baixo. Mariano disse que permaneceu calado por esses 30 dias por orientação divina e também pelos advogados. Ele fez questão de declarar que seu casamento e família estão bem e intactos.

Ele disse que procurou a polícia logo no início da repercussão. Afirmou que entregou o celular, conversas e se colocou à disposição para esclarecer qualquer fato. Disse que tanto ele e a família, quanto o ministério foram vítimas de uma grande calúnia e difamação. A 2ª Delegacia Distrital da Paraíba iniciou a coleta de depoimentos com os envolvidos.

Posteriormente, Mariano começou a ler trechos do depoimento que a ex-diaconisa prestou ao delegado. Ele reafirmou que o documento estava assinado por ela e pelos responsáveis pelas oitivas. "O pastor fala comigo desde março", Samuel disse que  a diaconisa não levou provas. Outro trecho foi: "Nunca saí com o pastor nem para motel, nem a sós e não houve envolvimento sexual". o seguinte trecho: "O pastor me tratava de forma respeitosa e eclesiástica". Outra parte do depoimento foi: "O pastor nunca me mandou foto, áudio ou vídeo... O pastor fez chamada de vídeo pra mim", mas segundo Mariano a mulher não mostrou provas. "Não tenho como provar nenhum desvio de dinheiro e também nunca ouvi falar", Mariano endossou que uma auditoria foi feita na igreja por um grupo de pastores e não encontrou nenhuma irregularidade. "O celular que tinha as conversas não foi apresentado à delegacia", leu o pastor Samuel. "O pastor ajudou meu marido quando estávamos passando por necessidade", dizia outro trecho lido por Mariano.

Em seguida, Mariano confirmou que recebeu vídeos e fotos da mulher e a primeira coisa que fez foi mostrar ao pastor Junior. No dia seguinte mostrou à esposa e que na conversa não houve nenhuma mensagem de incentivo ao envio desse material. Além disso, Samuel ironizou o trecho em que a mulher revela, em depoimento, que não sabe como o assunto chegou até o YouTuber responsável pela propagação. Foi nesse momento que Samuel revelou a existência de um áudio de uma reunião de uma suposta armação contra ele e que são mencionados outros cinco pastores.

O religioso não parou por aí. No vídeo ele chega a falar sobre um suposto esquema de extorsão. Ele narra que recebeu ligações e em uma delas teve a proposta de um perfil de instagram e canais de YouTube para passar a falar dele positivamente. O valor que teria sido cobrado para essa ação seria de R$ 30 mil por veículo. Ele afirmou que negou a proposta e no mesmo dia surgiram matérias sobre um suposto filho fora do casamento.

“É o inferno todo usando pessoas para denegrir nossa imagem, para acabar com nosso ministério, para fazer o que estão fazendo. É doloroso isso, você não vai saber o que é isso, se você nunca passou pelo o que estou passando”, disse o religioso.

Em determinado momento do vídeo, o pastor chegou a chorar ao lembrar de sua renúncia à presidência da igreja, por conta das acusações. De acordo com ele, foi doloroso ter que ficar fora das reuniões eclesiásticas e ter queda nas agendas pelo Brasil devido à polêmica.

Ao final do vídeo o vice-presidente da AD Brás também deixou uma palavra. Ele ressaltou os trabalhos feitos pelo pastor Samuel Mariano desde que assumiu a igreja. Além disso, disse que o resultado da vitória virá das mãos de Deus.

“Que Deus tenha misericórdia de pessoas que vivem do fracasso de outros, de boatos e de calúnia. Eu quero pedir perdão a todos pelo Brasil se alguma vez se decepcionou com o que disseram sobre mim. Só tenho que agradecer a todos vocês pelas orações, por clamar por mim. Eu estou com muito desejo de voltar a cantar, pois pastorear tem sido a maior delícia dos últimos anos”, finalizou o pastor Samuel Mariano.




Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.